Virtualidade – O eterno vir a ser.

Nada acontece em um estalar de dedos. Sempre existirão três caminhos pelos quais qualquer realidade terá que passar para realmente existir no plano físico, material ou palpável: pensamento, sentimento e ação.

Tudo sempre começa por uma idéia, e à medida que vamos sentindo o quanto, e a forma como queremos essa idéia realizada; mais movidos somos a ação para concretizar a nossa idéia, para enfim a tirarmos do campo da ideação para o campo da realização.

Dessa forma, o nosso olhar para qualquer coisa animada ou inanimada deve passar por essas três formas de leitura.

Um recém-nascido não é um adulto hoje, mas contém em si todas as potencialidades para tal. Uma semente não é uma árvore hoje, mas contém em si todas as potencialidades para ser. Por isso, podemos afirmar sem medo de errar, que tanto o “adulto” para o recém nascido; a “árvore” para a semente, e o virtual para o real, representam a virtualidade de uma possível realidade.

Essa conscientização do “vir a ser” com certeza fará com que muitas pessoas ajam dentro dos mundos virtuais de forma mais responsável, porque o fato do seu ser estar representado por um avatar, não implica dizer que tudo é uma brincadeira sem consequências; ou que suas ações não provocarão nenhuma RE-ação. Assim como na vida real, o plantio é livre, entretanto a colheita é obrigatória.

O fato é que vive-se uma era onde as Empresas estão se tornando virtuais. E percebam, que apesar da virtualidade fluidificar mais as instituições constituídas e aumentar os graus de liberdade, isso envolve muita responsabilidade; assim como representa também, um processo inverso, pois não é mais a realidade que invade o virtual, mas o virtual saindo para o mundo real, na medida em que o real é chamado pelo virtual, seja através de um pagamento via online; uma compra efetuada em uma loja virtual etc.

Portanto, há de se repensar sobre o que representa a virtualidade e a realidade. Há de se repensar nossas posturas e atitudes nos mundos virtuais, pois apesar de não estarmos presentes, continuamos repletos de paixões e de projetos, de conflitos e de amizades. Apesar da virtualidade nos remeter a uma unidade de tempo sem unidade de lugar (interações em tempo real por redes eletrônicas), continuidade de ação apesar de uma duração descontínua (comunicação por endereço eletrônico), ela produz efeitos, sejam eles materiais, sociais, econômicos, financeiros, emocionais ou mentais.

Tania Lacerda.

Esta entrada foi publicada em Dicas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *