Desenvolvendo habilidades.

“Uma nova pesquisa sugere que longe de alienar os jovens da vira real, os mundos virtuais põem à disposição ambientes únicos que podem ajudar no aprendizado e absorção de novas situações.

Acadêmicos do projeto Inter-Life, fundado pelo Conselho de Pesquisa Social e Econômica (ESRC), desenvolveram mundos 3D que funcionam como comunidades informais, permitindo a jovens interagir e dividir atividades usando avatares.

Os avatares personagens tridimensionais, controlados pelos participantes. Os mundos virtuais oferecem a possibilidade de ambientações interativas e realísticas, que podem ir além da normalidade; assim, permitem que pessoas novas desenvolvam habilidades usadas no mundo real, como as cognitivas e organizacionais.

O projeto envolveu jovens em atividades criativas como gravações de filmes e fotografia. Os estudantes deveriam aprender a lidar com diferentes cenários do mundo (composto de ilhas privadas), além de participar da comunidade online por vários meses. No desenrolar da ideia, os pesquisadores encorajaram novas formas de comunicação, incluindo as usadas online.

O líder do projeto, professor Victor Lally, afirma: “Nós demonstramos que você pode planejar atividades com crianças e os fazer trabalhar com comprometimento, energia e envolvimento em mundos 3D, por um período de tempo significante”

O texto acima confirma a minha teoria que os mundos virtuais 3D estão além da ideia de serem simplesmente estratégias utilizadas como fuga de uma realidade muitas das vezes sofrida e difícil de aceitar. Na verdade, creio ser esse o último motivo que deveria levar as pessoas a procurarem os mundos virtuais.

Dessa forma, convido a todos a repensarem as suas posturas dentro dos mundos virtuais, visto serem eles, um vasto campo de aprendizagem em todos os segmentos de nossas vidas reais.

Não traga o seu real para o virtual, mas faça do virtual com seus aprendizados e lições, um caminho a ser testado em seu real, buscando sempre o nosso aperfeiçoamento, quiçá, nos tornando mais solidários, compreensivos, tolerantes e infinitamente mais amorosos com o outro e conosco.

Tania Lacerda.

 

Esta entrada foi publicada em Dicas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *